Seminário debate Memórias, Mitopoéticas e Cartografias

A Universidade do Estado do Pará (Uepa) recebeu durante a manhã do dia 14 de novembro, no Campus de Salvaterra, o V Seminário Brasileiro de Poéticas Orais, promovido pela Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Letras e Linguística (Anpoll), em parceria com o Núcleo Culturas e Memórias Amazônicas (Cuma), vinculado à Universidade. O tema desta edição, foi “Memórias, Mitopoéticas e Cartografias em Travessias no Marajó”.

 Além do Campus XIX, o evento passou por outros espaços, entre eles, a Universidade Federal do Pará (UFPA) – Campus Soure e o Museu do Marajó, em Cachoeira do Arari. Em outras edições, o Seminário Brasileiro de Poéticas Orais já passou pelas cidades de Londrina, Porto Alegre, Salvador e Alagoinha.

 As professoras da Uepa, Dia Favacho, Délcia Pombo e Josebel Akel Fares, ao lado dos docentes da UFPA, Maria do Perpétuo Socorro Galvão Simões, e da Estácio FAP, Alexandre Ranieri Ferreira, participam da coordenação do evento. 

Para a professora Josebel, é fundamental afirmar a participação da Uepa, que recebeu todas as reuniões de elaboração das atividades. “A participação da Uepa, com alunos, professores coordenadores, comissão organizadora, se dá via Cuma. E são muitas pessoas que estão trabalhando em todos os espaços”, declarou.

 As atividades que comporam o Seminário, que é referência na área de linguagem e ocorreu pela primeira vez na região norte, contou com estudiosos e especialistas locais, nacionais e internacional, como o professor Willi Bolle, da Universidade de Boschum.

A programação incluiu também o lançamento de livros e debates sobre Saberes, performance e movência; Manifestação da cultura popular e os múltiplos diálogos; Literatura de cordel e a força de sua comunicação; entre outros temas. Além disso, uma mesa homenageará a memória de Gerusa Pires Ferreira, estudiosa no campo das poéticas orais.

Houve, ademais, a comemoração dos 25 anos do Projeto Imaginário nas Formas Narrativas Orais Populares da Amazônia (IFNOPAP). O programa é responsável por manter e preservar as  narrativas orais e garantir que se mantenham presente na vida dos amazônidas.

Texto: Wesley Lima/ Ascom CCSE

Foto: Nailana Thiely/ Ascom Uepa.