Campus de Vigia recebe III Evemu

A Universidade do Estado do Pará, em Vigia, trouxe, durante os dias 26, 27, 28 e 29 de novembro, o III Encontro Vigiense dos Estudantes de Música (Evemu) para a comunidade acadêmica e para o público em geral com diálogos e reflexões sobre a arte e seu papel transformador, com o tema A Educação Musical em Projetos Sociais na Periferia: Dimensões Práticas da Resistência por meio da Música. A inscrição do evento estão encerradas.

Durante o primeiro e segundo dia do evento, a programação esteve composta pela Mesa de Abertura (com a coordenação); A Educação Musical em Projetos Sociais na Periferia: Dimensões Práticas da Resistência por meio da Música (Conferência); Palestra: Educação Musical e as Políticas Públicas nas Escolas; e diversas oficinas.

Para Jhonata Costa, do sexto semestre do curso de Licenciatura Plena em Música, o Encontro mostra as oportunidades de sair de uma zona de risco da sociedade por meio da arte. Além de abrir as portas da Universidade à comunidade. “O Evemu objetiva enfatizar a importância dos projetos sociais com música na periferia das cidades dos interiores e que oportunizam as pessoas coisas, que se não tivessem a chance de participar desses projetos, não teriam possibilidade de se relacionar e tocar em alguns lugares”, disse.

No Brasil, faltam estatísticas recentes sobre arte na periferia, mas é inegável que a sua presença escancara, auxilia e atenua as dores da população que ali vive. Além disso, esse incentivo dá espaço para que as ideias e vivências do povo periférico sejam expostos a todos para retratar e gerar identificação com os cenários que compõem estas regiões. Além de, é claro, criar belas composições e peças.

Com esse intuito, o III Evemu continuou — com diversos estudantes, professores e colaboradores — a desenvolver, por todo o Campus XVII, minicursos, oficinas, exposição de trabalhos, rodas de conversas e apresentações culturais.

A programação do Encontro contou ainda, no dia 29, com uma atividade cultural extra na Sede do Dois Corações às 21h: A Noite dos Vilões. .

Texto: Wesley Lima/Ascom CCSE.
Foto: Acervo Evemu e Campus de Vigia.