CCSE acolhe calouros e reinaugura seu auditório

Centenas de calouros tiveram sua primeira experiência na Universidade do Estado do Pará (Uepa) na manhã de hoje, 5. O Centro de Ciências Sociais e Educação (CCSE) realizou uma programação de acolhimento aos seus novos estudantes. Na ocasião, foi reinaugurado o auditório Paulo Freire, com instalações totalmente renovadas e capacidade para mais de 200 pessoas.

Os calouros chegaram cedo para o seu contato inicial com a vida acadêmica. Rapidamente, grupinhos se formaram, em conversas animadas sobre o que esperar da nova realidade. Secretariado Executivo Trilíngue sempre foi o curso dos sonhos de Maria Elena Silva, de 17 anos. Já na primeira tentativa, a meta foi alcançada. “Eu tenho altas expectativas para o curso. Gosto dele por abranger muitas áreas e, principalmente, por ser trilíngue”, explicou.

Ananda Chedick, de 17 anos, não escondia o brilho nos olhos. Caloura de História, desde o começo ela já traçava paralelos entre a universidade e os demais níveis do ensino. “Para estar aqui, fizemos uma escolha que foi nossa. Estamos em um ambiente onde somos considerados adultos, não se espera mais dar satisfação para os pais”, resumiu. A colega caloura, Isadora Cardoso, 17, já vislumbra uma carreira na docência. “Nunca sonhei em ser professora, mas tenho bastante afinidade com História. Pesquisei o curso e percebi que tenho muitas possibilidades nele”, contou a jovem.

O curso de Ciências da Religião receberá os jovens Luiz Fernando Diniz, 18; Luiz Felipe Nascimento, 18; e Yasmim Oliveira, de 17 anos. Os três se disseram preparados para as exigências da graduação. “É um curso que sempre quis fazer. Busquei muitas informações sobre ele e acredito que estou no lugar certo”, contou Luiz Fernando. “Eu vi que a carga de leituras do curso é bem pesada, mas isso até me atrai. As expectativas estão nas alturas”, avaliou Luiz Felipe.

Os veteranos abriram o coração para receber de forma calorosa os colegas novatos. Jamylle Maravalho, 19 anos, aluna do segundo ano de Matemática, e Juliana Froes, 19, do terceiro ano de Matemática, fizeram cartazes para localizar e agrupar os calouros do curso. “Também fomos recebidas pelos veteranos quando ingressamos e nos sentimos bem acolhidas”, disse Juliana. Jamylle aproveita para dar o melhor conselho aos calouros: “Comecem a estudar desde agora, pois a média na Uepa é 8”, brincou.

AUDITÓRIO

A cerimônia de acolhimento dos calouros começou com um momento esperado por todos no Centro: a reinauguração do auditório Paulo Freire. Com todas as poltronas trocadas, um novo sistema de refrigeração de ar e a foto do patrono da Educação, Paulo Freire, em local de destaque no palco, que agora conta com uma mesa de granito grafada com a marca do CCSE.

“Este espaço que reapresentamos hoje à comunidade acadêmica é fruto do esforço coletivo de todo o CCSE. De servidores, professores e alunos que doaram suas horas livres com trabalho voluntário aos sábados para ajudar a concluir a reforma. E todos eles, nos da gestão somos eternamente gratos”, reconheceu o diretor do Centro, Anderson Maia. As salas de aulas também passaram por reformas e ganharam novos quadros magnéticos, cadeiras e mesas para os professores.

“Nestes 19 meses de gestão, foram 50 ações nas áreas de ensino, pesquisa, extensão e espaços físicos. Organizamos as salas de aula por blocos de acordo com os cursos, já preparando para um dos objetivos da gestão, que é criar as faculdades”, completou Maia. O vice-diretor do CCSE, Jairo Nascimento, ressaltou a importância do auditório para toda a Uepa. “Agora temos um espaço digno até mesmo para realizar cerimônias de formatura. O ganho ultrapassa apenas a comunidade do CCSE”, observou.

O vice-reitor da Uepa, Clay Anderson Chagas, parabenizou o esforço da gestão do Centro para reordenar o Campus I e realizar significantes mudanças, que há muito eram esperadas pelos alunos. “Essa é uma vitória do CCSE e também da Uepa. Acompanhei o empenho de todos para esta reinauguração”, disse o professor, que aproveitou para dar suas boas vindas aos alunos. “É um momento único na vida de vocês. As amizades, as pressões e as alegrias vividas aqui vão com vocês para toda a vida. Vivam a universidade e deem o retorno para a sociedade sendo excelentes profissionais no mercado de trabalho”, pediu.

A professora do curso de Pedagogia, Zanete Gusmão, foi a homenageada do dia. Ela se mostrou muito honrada com o reconhecimento de seus pares. “Quando você recebe uma homenagem, se transforma em uma referência para os demais. Tenho 24 anos de Uepa. Entrei aos 32 anos e tive uma trajetória de muita luta e muita militância. Esse momento mostra para mim que o meu trabalho foi visto pela academia”, comentou a professora, que atualmente trabalha em sua tese de doutorado e sequer pensa em se aposentar. “Paula Autran disse uma vez que, se fosse possível, ele gostaria de morrer no palco, pois atuar era o que ele amava. Eu penso da mesma forma”, concluiu.

SEGURANÇA

O comandando do 1º Batalhão da Polícia Militar do Pará (PMPA), coronel Renato Dumont, participou da cerimônia e revelou aos presentes o trabalho que pretende desenvolver com a Instituição. “Desde janeiro, reunimos com a gestão da Uepa para traçar estratégias visando garantir a segurança pública na Universidade. Teremos uma presença maior aqui, mas não atuaremos como pressão ou repressão. Traremos palestras e buscaremos identificar pessoas que precisam de orientação”, adiantou o coronel.

O CCSE instalou 15 câmeras de segurança pelo campus, que são monitoradas na guarita central. A gestão planejar aumentar este número durante o ano. “Com essas ações e a parceria da PM, buscamos garantir a segurança que nossa comunidade acadêmica anseia”, concluiu Maia. A programação de acolhimento aos calouros segue durante a tarde, com programações realizadas pelas coordenações dos cursos.

Veja mais fotos aqui.

 

Texto: Fernanda Martins/ASCOM-UEPA

Fotos: Nailana Thiely

Deixe um comentário